Comunicação sonora entre árbitros, quinteto de arbitragem e VAR


FUTEBOL

COMUNICAÇÃO SONORA ÁRBITROS/AUXILIARES

QUINTETO DE ARBITRAGEM

VAR-ÁRBITRO DE VIDEO



Sou DALMAR F SOUTO, autor do livro REGRAS E CONTRA-REGRAS, contendo sugestões para  melhorar o nível de arbitragem no futebol. Desta feita, chamando a atenção dos legisladores desse esporte - FIFA-INTERNATIONAL BOARD- , no sentido de aprimorar as seguintes regras já inseridas nos jogos dos torneios e campeonatos de todo o mundo:


- COMUNICAÇÃO SONORA ÁRBITROS /AUXILIARES

Como autor da sugestão em meu livro FUTEBOL EM TEMPOS DE ANALOGIA-CONFEDERAÇÃO  BRASILEIRA DE FALCATRUAS?, editado em 2002, lembro que os chamados adicionais também  têm  que usar a bandeirinha e o equipamento eletrônico de comunicação com os árbitros, facilitando  e agilizando a informação ou irregularidade dos lances, inclusive sendo punidos rigorosamente todas as vezes que se omitirem, principalmente nas ultrapassagens duvidosas da bola na linha de gol ou linha de fundo;  agarra-agarra, bola na mão e mão na bola, simulações, penalidades máximas e todos os lances de difícil interpretação.

- QUINTETO DE ARBITRAGEM

O Quinteto de Arbitragem é outra sugestão nossa no livro REGRAS E CONTRA-REGRAS, editado em  janeiro de 2006, e enviado à FIFA, via SEDEX, em 24.07.2006, conforme AR oriundo de ZURIQUE-SUIÇA, datado de 03.08.2006, atestando o recebimento de  3 exemplares  do referido livro.

Interessante e inacreditável é que Michel Platini, secretário do Presidente Blatter (FIFA) à época, ao sair para a UEFA, em 2012, implantou o árbitro adicional, denominado por nós de fiscal de grande área, afirmando em alto e bom som para toda a imprensa do mundo, QUE A IDEIA É DELE.

Não seria muita “coincidência” o espertalhão ter imaginado o QUINTETO DE ARBITRAGEM após o recebimento dos livros? Mas, como errar é “desumano”, no tempo certo ele será cobrado literalmente.

Outro erro lamentável do francês, e indevidamente seguido pela CBF e Federações no Brasil, foi posicionar os “adicionais” do lado esquerdo da grande área, deixando o lado direito sem nenhuma fiscalização. Ou seja, deixa o lado direito vulnerável e sujeito a decisões equivocadas, e ainda congestiona o lado esquerdo, tirando o ângulo de visão do auxiliar lateral,  quando este está posicionado na bandeirinha de escanteio.

Como sabemos que a maioria dos dirigentes de clubes  não conhecem as regras de futebol, cabe à comissão de arbitragem corrigir tão grave erro.

- ÁRBITRO DE VÍDEO-VAR

Entre tantas outras boas sugestões contidas no nosso livro REGRAS E CONTRA-REGRAS, a mais importante, sem dúvidas, é o Árbitro de Vídeo-VAR, com o monitor à beira do gramado, conforme sugestão nossa no princípio de 2006, experiência jamais feita em campos de futebol no mundo, exceção feita ao futebol americano e à Rede Globo de Televisão, que utilizou indevidamente e sem a nossa autorização, o monitor à beira do gramado do Maracanã, sendo proibida pela FIFA e CBF.

A “inspiração” também foi à moda Platini, ou seja, após lerem  o nosso livro que também foi enviado àquela emissora, conforme AR que temos em mãos, referente ao SEDEX datado de 17.07.2006. Repórteres, narradores e comentaristas da Globo e outros canais de televisão começaram a usar  disfarçadamente o conteúdo do livro, fazendo parecer que também teriam sido “inspirados”.

Embora a ideia do VAR nos jogos de futebol de campo seja nossa, já começa aparecer outros “pais da criança” como um ex-árbitro da Bahia e um espanhol chamado Francisco Lopez, que inclusive está cobrando da FIFA , nada mais, nada menos do que 15 milhões de euros, alegando que apresentou a ideia (um vídeo) em uma Universidade da Espanha.

Entretanto, segundo meus advogados nossas provas são muito mais robustas e consistentes, pois podemos provar com  nota fiscal da editora dos livros, cujos exemplares (3) foram  enviados para o endereço da FIFA EM ZURIQUE NA SUIÇA, conforme recebimento de AR do SEDEX endereçado àquela entidade esportiva.

-  E QUAL É A MELHOR MANEIRA DE APLICAR O ÁRBITRO DE VIDEO-VAR?

Simples, muito simples!

PRIMEIRO: 

Nos lances capitais e que, às vezes, costumam mudar o resultado dos jogos, o árbitro de campo jamais poderá tomar uma decisão sem o aval do VAR, ainda que esteja totalmente convicto da validade da jogada, uma vez que também poderá estar CONVICTAMENTE EQUIVOCADO, trazendo terríveis consequências para o sucesso da arbitragem, ou seja, sua função TEM QUE SER nos lances simples, como, por exemplo, nas faltas “normais”, reclamações dos jogadores, desrespeito à sua autoridade, aplicação de cartão amarelo devido à “cera”, e outros lances que não altere o resultado dos jogos.

Outro grande equivoco é a não participação dos outros auxiliares, quando é necessário recorrer ao monitor à beira do gramado. Achamos fundamental a participação de pelo menos os 2 auxiliares da metade do campo  onde acontece o lance duvidoso, principalmente quando o lance é interpretativo, uma vez que o árbitro pode estar convictamente equivocado.

SEGUNDO:

Total inversão de valores e funções, uma vez que o correto é a responsabilidade total da arbitragem passar a ser do ÁRBITRO DE VÍDEO, JÁ QUE TODOS OS LANCES SÃO VISTOS E REVISTOS PELOS “OLHOS” DA TECNOLOGIA, cujos profissionais, com todos esses recursos, sem dúvida, estarão mais capacitados para interferir na atuação do árbitro de campo, sobretudo e principalmente  nos lances polêmicos e geradores de dúvidas, como o impedimento; bola na mão ou mão na bola; ultrapassagem da bola na linha de gol, linha de fundo ou lateral; agarra agarra dentro da área; penalidade máxima, duvidosa ou não, (O ÁRBITRO PODE ESTAR CONVICTAMENTE ERRADO); jogadas violentas e aplicação do cartão amarelo ou vermelho; cusparadas, tapas na cara, braçadas, cotoveladas; simulações e outras malandragens características dos jogadores que procuram fazer a odiosa cera, normalmente junto à bandeirinha de escanteio; enfim, todos os lances não previstos nas regras (regra 18), e que podem passar despercebidos a “olho nu” ou sem a utilização da tecnologia.

TERCEIRO:

O árbitro de campo, em vez de achar que está sendo usado como “moleque de recado”, deve mesmo é ficar satisfeito, já que terá apenas que apontar ou marcar as irregularidades, apitando ou deixando o jogo seguir, deixando a decisão para os árbitros de vídeo-VAR, repito, nos citados lances polêmicos ou duvidosos, que costumam mudar o resultado dos jogos.

- MAIS UMA PROVEITOSA SUGESTÃO

Para melhorar a arbitragem em geral-árbitro, mais uma proveitosa sugestão, principalmente onde não há condições técnicas para usar a tecnologia:

Os “adicionais", em vez de posicionados na linha de fundo, deveriam ser transferidos para  a outra lateral do campo,  posicionando-os  frente à frente com os tradicionais bandeirinhas, cujo alinhamento  proporcionaria melhor performance desses profissionais na marcação de impedimentos, escanteios, lances polêmicos no setor nevrálgico da grande área, e todas as jogadas nas proximidades da linha de fundo (lado direito e esquerdo).

Sintetizando: o erro não seria mais do árbitro central, mas do trio de arbitragem de cada metade do campo, lembrando que na hipótese de apenas um auxiliar suspender a bandeira e o árbitro ainda esteja em dúvida, os auxiliares da outra metade do campo seriam convocados para uma rápida reunião no círculo central, cuja decisão seria total responsabilidade do QUINTETO DE ARBITRAGEM (clique aqui para ver mais sobre isso).

- VAR DE VÁRzea?

Sim! Var de Várzea, como acontecia e acontece ainda hoje, quando um lance é polêmico e na ausência de árbitro, os peladeiros se reúnem em algum lugar do campinho, onde alguns palpiteiros acabam fazendo o papel de um quinteto de arbitragem, solucionando o problema, prevalecendo a opinião da maioria. Esse VAR ou Verificação de Arbitragem seria a solução para os jogos onde técnica e economicamente não é possível a utilização do ÁRBITRO DE VÍDEO.

Portanto, em uma rápida reunião do QUINTETO DE ARBITRAGEM no círculo central do gramado, todos os lances duvidosos e polêmicos seriam analisados pelos 5 profissionais, ficando a decisão mais segura, uma vez que 10 olhos, sem dúvida, conseguem enxergar muito mais do que apenas os 2 do árbitro central.

A simples tentativa de invasão daquele espaço geraria o cartão amarelo ou, nos casos de reincidência, o vermelho, tornando-se desnecessárias tais reuniões, tratando-se de lances simples.

Lembramos que a opinião do árbitro reserva não será necessária, uma vez que nem sempre está atento às principais jogadas, ocupado em ouvir as absurdas e abusivas reclamações dos treinadores.

Além da aplicação e retificação dos “adicionais”, posicionando-os no lado direito da grande área, ou a transferência para a o outro lado do campo, alinhando-os frente a frente com os tradicionais auxiliares laterais, sugerimos uma mobilização dos dirigentes de futebol, no sentido de cobrarem as seguintes modificações nas retrógradas regras deste emocionante esporte:

- A CRONOMETRAGEM nos jogos de futebol, pois é a única solução para eliminar a odiosa e irritante “cera”, acabando também com aqueles acréscimos equivocados, que muitas vezes deixa  dirigentes e torcedores agressivos, inclusive colocando em risco a vida dos profissionais de arbitragem;

- O CARTÃO BRANCO, suspendendo os atletas nervosos por 5 ou 10 minutos, com direito a substituição; bem como os jogadores que simulam contusões abusivamente, sobretudo o goleiro, nas famosas “esfriadas” de jogo. Este é o chavão: goleiro no chão, hora de substituição!

O torcedor que  já está cansado de pagar para assistir 90 minutos e acaba assistindo apenas 60, ficaria muito mais satisfeito, diminuindo também a violência nos estádios.

Outra boa mudança seria permitir que o técnico mantivesse o substituto em campo, na hipótese de melhor performance que o substituído, acabando também com as cenas cinematográficas ou de novela tão em moda em nosso futebol, obrigando esses péssimos “atores” a repensarem suas atitudes em campo.
    
Dito o exposto, estamos abertos a mais informações, maiores detalhes e outras interessantes “dicas” contidas no nosso livro, já que o interesse maior de nossa parte é, repito, melhorar o nível de arbitragem no Brasil e no mundo.

Entretanto, direito é direito, ou seja, FIFA, UEFA, CBF e todas as Federações que já usaram o QUINTETO DE ARBITRAGEM; A COMUNICAÇÃO SONORA ÁRBITRO/AUXILIARES; E O VAR, a partir desta data de 22.10.2018, terão 72 horas para selarmos um acordo ou uma parceria remunerada, no sentido de contribuirmos com mais subsídios no tocante a novas regras, uma vez que meus advogados já estão se mobilizando e, com uma simples ordem nossa, a justiça, inclusive internacional será acionada, cobrando direitos autorais inquestionáveis, segundo os mesmos.

A FIFA também poderia usar esse acordo na defesa contra os advogados do espanhol, já que o mesmo, repetimos, não tem provas tão robustas e consistentes como as que enviamos à Entidade maior do futebol mundial.

Lembramos também que a ação será idêntica à do spray utilizado pela CBF, ou seja, suspensão imediata da utilização do VAR, do QUINTETO DE ARBITRAGEM, e da COMUNICAÇÃO SONORA ÁRBITRO/AUXILIARES, além do pagamento pelo tempo que essas sugestões foram aplicadas.

Gostaríamos de selar este acordo o quanto antes, pois vamos doar a maior parte deste dinheiro para entidades filantrópicas, principalmente MÉDICOS SEM FRONTEIRAS e a FEBOM-Fundação Evangélica Bom Samaritano, da qual somos mantenedores há mais de 30 anos, onde damos assistência a mendigos, pessoas idosas e crianças de rua, levando o pão para o corpo e para o espírito, ministrando o verdadeiro evangelho do Senhor Jesus, sem jamais ter exigido ofertas de qualquer espécie, nem iludido as pessoas incultas com promessas de curas, milagres e prosperidade material.

Finalmente, o VAR de Deus: Conforme a Bíblia, os olhos de Deus estão em todos  os lugares.

O GRANDE  ÁRBITRO DE VÍDEO do céu, com certeza está Vigiando-Atitudes-Reprováveis-VAR.

ATLETAS, DIRIGENTES E TORCEDORES DE TODO O MUNDO:

Há motivo maior para praticarmos o jogo justo?

DFSOUTO

DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS.
REPRODUÇÕES PERMITIDAS MEDIANTE CITAÇÃO DA FONTE

Contatos 77 9 8872-6088   E-mail: dfsouto1@gmail.com

Comentários